PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

"Me tratam com respeito no teatro", diz atriz transexual Leona Jhovs

Miguel Arcanjo Prado

20/04/2016 06h02

A atriz transexual Leona Jhovs: sucesso nos palcos - Foto: Dario José/Divulgação

A atriz transexual Leona Jhovs: sucesso nos palcos – Foto: Dario José/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

A atriz transexual Leona Jhovs chama cada vez mais a atenção nos palcos paulistanos. Ela estreia nesta quarta (20) no elenco da peça "Fando e Lis", no Espaço dos Parlapatões até 25 de maio. E ainda pode ser vista no musical "Luz Negra", da Cia. Pessoal do Faroeste, até o dia 26 de abril, no qual contracena com Mel Lisboa.

Questionada se há algum tipo de preconceito no meio artístico com o fato de ela ser transexual, Leona responde: "Confesso que não. Me percebo uma felizarda em fazer parte de um momento ímpar para mulheres como eu. As portas estão abertas como jamais estiveram", analisa.

Ela lembra que o amor dos colegas e da família é fundamental.

"Paulo Faria [diretor do Pessoal do Faroeste] e todos me tratam com muito carinho e respeito. Com isso, parece que me sinto preparada para lidar com qualquer dificuldade, seja preconceito ou não. E levo em consideração o amor e a compreensão dos meus pais, que desde sempre me prepararam com educação e dignidade para lidar com a vida", fala.

Já pequena, Leona amava dançar lambada. Decidiu ser atriz aos nove anos, vendo com o pai Marília Pêra na TV. "Costumo me inspirar nas artistas que me arrepiam, famosas ou não", diz.

Em "Fando e Lis" é Lis e contracena com Gisa Guttervil, que faz Fando. Na peça do surrealista espanhol Fernando Arrabal sob direção de Erika Barbosa com assistência de Samira Lochter, ambas são uma dupla sem gênero que vaga pelo mundo já extinto.

Define Gisa como "um furacão" e elogia também os outros companheiros de elenco, Billy Eustáquio e Gui Alves: "atores potentes". Para criar sua personagem, Leona optou por uma qualidade que não lhe falta: "Essa Lis pulsou das mulheres que tenho em minha mente que representam a coragem", conclui.

Leona Jhovs contracena com Gisa Guttervil em

Leona Jhovs (dir.) e Gisa Guttervil em "Fando e Lis" – Foto: Ricardo Cruz/Divulgação

"Fando e Lis"
Quando: Quarta, 21h. 55 min. Até 25/5/2016
Onde: Espaço dos Parlapatões – Praça Roosevelt, 158, São Paulo – tel. 11 3258-4449
Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Classificação etária: 16 anos

"Luz Negra"
Quando: Segunda e terça, 21h. 75 min. Até 26/4/2016
Onde: Sede Luz do Faroeste – Rua do Triunfo, 305, Luz, São Paulo – tel. 11 3362-8883
Quanto: pague quanto puder
Classificação etária: 14 anos

Sobre o autor

Eleito três vezes um dos dez melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se, Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP (Celacc-ECA) e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV Globo Minas, O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes e Risadaria. Ganhou os prêmios Nelson Rodrigues, Inspiração do Amanhã e Referência Nacional pela Ancec. Como dramaturgo, é autor da peça Entrevista com Phedra.

Sobre a coluna

Miguel Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e sociedade, com informações e entrevistas exclusivas, além de reflexões sobre o mundo da Cultura e do Entretenimento.

Blog do Arcanjo