Topo
Miguel Arcanjo

Miguel Arcanjo

Categorias

Histórico

Crítica: Ótima, série The Politician da Netflix é fascinante e perturbadora

Miguel Arcanjo Prado

27/09/2019 12h54

O excelente Ben Platt, protagonista da série The Politician, da Netflix: uma vida de aparências em busca do poder – Foto: Divulgação/Netflix – Coluna @miguel.arcanjo UOL

"The Politician", série da Netflix
Crítica por Miguel Arcanjo Prado
Avaliação: Ótimo ✪✪✪✪✪

Como se comporta prestes a chegar à vida adulta uma ambiciosa geração que se acha melhor que as demais e que ainda tem sua vida completamente atravessada pela mediação constante das redes sociais? Esta parece ser a premissa da nova série da Netflix, "The Politician", que estreia nesta sexta (27). E o que revela é fascinante e perturbador.

A frenética trama se passa em um colégio elitista californiano, no qual os adolescentes entram em ardilosa disputa pelo poder político estudantil, certame este que é uma espécie de treinamento para o implacável mundo adulto que os espera.

Para tanto, os adolescentes mergulham em jogos sórdidos em busca do domínio da aparência pública e de discurso de alto impacto sobre a audiência, mesmo que este esteja a quilômetros de distância da verdade. Na era da representação, a autenticidade vale o quê?

E qual seria o conceito de verdade dessa geração que se vê desde sempre filtrada por algoritmos e parece esquecer-se cada vez mais da essência natural do bicho homem?

Não custa nada lembrar: a humanidade ainda integra a natureza, por mais que o mergulho profundo na tecnologia veloz nos aliene cada vez mais disso, nos colocando em confronto constante com o universo ao nosso redor e com a nossa própria essência animal.

Saiba quem é Ben Platt, protagonista de The Politician
Guilherme Machado do UOL entrevista protagonistas
Ben Platt e Zoey Deutch promovem série no Brasil

Ben Platt como Peyton em The Politician, a nova série da Netflix: ambição pelo poder longe de qualquer escrúpulo – Foto: Divulgação/Netflix – Coluna @miguel.arcanjo UOL

Tal embate é cristalizado na figura do protagonista da série, o estudante Peyton Hobart, interpretado de forma magistral por Ben Platt, que mostra na série o porquê de ser um dos atores estadunidenses mais promissores de sua geração, já ganhador do Tony por atuação brilhante na Broadway.

O personagem calculou todos os passos da sua vida para tornar-se no futuro presidente dos Estados Unidos, mesmo que, para isso, tenha de maquiar seus sentimentos cotidianamente, aprisionando sua sexualidade dentro do armário.

Peyton não se avexa em usar quem estiver em seu caminho em benemérito próprio. Afinal, o outro, em "The Politician", nada mais é do que um recurso para chegar aonde se deseja, mesmo que para isso seja preciso transpor todas as barreiras éticas possíveis — a forma como os jovens fazem uso político próprio das pautas sociais identitárias tão em voga lembra a hipocrisia de tantos por aí.

Jessica Lange, Ben Platt e Zoey Deutch em ótima cena de The Politician: o outro só existe para beneficiar a mim mesmo – Foto: Divulgação/Netflix – Coluna @miguel.arcanjo UOL

A série trata do trunfo do parecer sobre o ser, perfeitamente representado pela ambição insaciável do protagonista, personagem repleto de múltiplas camadas tal qual uma cebola impossível de ser completamente descascada. Trata-se de um dos papéis mais complexos já apresentados em uma série juvenil, defendido com bravura pelo talentoso ator.

Falando em talento, a série ainda guarda participação especial da maravilhosa Jessica Lange no que ela anda fazendo de melhor nos últimos tempos em séries televisivas: uma avó egoísta e mesquinha que é capaz de usar a neta doente (Zoey Deutch, também em ótima atuação) para obter vantagens próprias — a cena em que ela fura a fila do restaurante é inesquecível.

A produção é do criador de "Glee" Ryan Murphy, que assinou contrato de cinco anos na Netflix com valor aproximado de US$ 300 milhões. "The Politician" é uma série que entretêm os mais jovens, filhos deste século 21, ao mesmo tempo em que perturba aqueles de uma geração mais velha, ainda frutos do século 20. Estes talvez tenham sido os últimos na história a experimentar uma vida real/natural antes do mergulho (sem volta?) na realidade virtual (e muitas vezes sórdida) do digital.

Afinal, (quase) tudo em "The Politician" é plasticamente perfeito na superfície, mas internamente é fake e apodrecido.

Siga @miguel.arcanjo

Sobre o autor

Eleito três vezes um dos dez melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se, Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP (Celacc-ECA) e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV Globo Minas, O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes e Risadaria. Ganhou os prêmios Nelson Rodrigues, Inspiração do Amanhã e Referência Nacional pela Ancec. Como dramaturgo, é autor da peça Entrevista com Phedra.

Sobre a coluna

Miguel Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e sociedade, com informações e entrevistas exclusivas, além de reflexões sobre o mundo da Cultura e do Entretenimento.

Blog do Arcanjo