Topo
Miguel Arcanjo

Miguel Arcanjo

Categorias

Histórico

Musical com história dos Novos Baianos estreia em SP

Miguel Arcanjo Prado

08/11/2019 09h30

Musical "Novos Baianos" conta história do grupo que sacudiu o Brasil nos anos 1970 – Foto: André Wanderley/Divulgação – Coluna @miguel.arcanjo UOL

Os Novos Baianos é uma das bandas mais emblemáticas da história da música brasileira. Tanto que foi responsável por um dos melhores discos de todos os tempos, "Acabou Chorare", de 1972.

O grupo tem sua história contada no musical "Novos Baianos", que estreia para convidados nesta sexta (8) e para o público no sábado (9), no Teatro Antunes Filho do Sesc Vila Mariana, em São Paulo, onde cumpre temporada até 15 de dezembro.

Lúcio Mauro Filho escreveu o texto produzido pela Dueto — com colaboração de Monique Gardenberg — sob direção de Otávio Muller e que conta com direção musical de dois dos melhores frutos daquela união de amigos altamente musicais e repletos de paz e amor: Davi Moraes e Pedro Baby.

Surgidos no fina dos anos 1960, os Novos Baianos conheceram o sucesso na década seguinte, quando se mudaram para o Rio de Janeiro em uma ousada aposta do ícone do mercado fonográfico João Araújo, na época à frente da gravadora Som Livre.

Novos Baianos em meio à sua comunidade de paz e amor nos anos 1970: vida de utopia que se transformou na melhor música brasileira – Foto: Divulgação – Coluna @miguel.arcanjo UOL

"Os Novos Baianos poderiam ser uma versão brasileira do 'Hair'. A diferença talvez esteja no que tem de vida vivida nisso aí, pois os personagens da história são reais e continuam produzindo e encantando plateias por aí, há 50 anos", diz Otavio Muller.

Com sua música solar, Baby Consuelo, Galvão, Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor e Pepeu Gomes representavam uma juventude que apostou no desbunde e na vida hippie para enfrentar o questionar o regime ditatorial que deixava o Brasil sob trevas.

Doze artistas selecionados em disputada audições contam essa história no palco: Barbara Ferr, Beiço, Clara Buarque, Felipe El, Filipe Pascual, Gustavo Pereira, João Moreira, João Vitor Nascimento, Julia Mestre, Mariana Jascalevich, Miguel Freitas e Ravel Andrade.

Sob direção de arte do coletivo Opavivará!, eles são responsáveis por representar não só os Novos Baianos, como amigos da banda como o saudoso João Gilberto, além dos tropicalistas Caetano Veloso, Gilberto Gil e Tom Zé.

Novos Baianos na atualidade – Foto: Divulgação – Coluna @miguel.arcanjo UOL

"Se o Tropicalismo abriu corações e mentes da juventude do Brasil, os Novos Baianos beberam na fonte e foram além: inventaram o rock brasileiro, aquele que mistura guitarra com pandeiro e apresenta ao Tio Sam o tamborim", define Lúcio Mauro Filho.

Ao ver o musical, o público vai reencontrar canções que fazem parte da história de nossa música, como "Brasil Pandeiro", "Mistério do Planeta", "A Menina Dança", Tinindo Trincando" e "Acabou Chorare".

"Eles viveram uma utopia, tomavam decisões em conjunto e dividiam os ganhos. Além de tudo, criaram suas famílias e tiveram filhos juntos", lembra Lúcio Mauro Filho, ressaltando o espírito fraterno que uniu o grupo, tão necessário em tempos atuais de tanto ódio, onde o Brasil (e o mundo) necessitam com urgência de outra vez acreditar na paz e no amor.

Novos Baianos (musical)
Teatro Antunes Filho do Sesc Vila Mariana (r. Pelotas, 141, Vila Mariana, tel. 11 5080-300, São Paulo, metrô Ana Rosa). De 9/11 a 15/12/2019. Quinta a sábado, às 21h. Domingo, às 18h. R$ 15 a R$ 50. 120 min. 14 anos. 

Compre seu ingresso para ver o musical Novos Baianos!

Siga @miguel.arcanjo

Veja quem já aplaudiu o musical Novos Baianos

Elenco de Novos baianos abre o camarim

Leia a crítica de Miguel Arcanjo para o musical Novos Baianos

Saiba mais sobre o musical Novos Baianos

Sobre o autor

Eleito três vezes um dos dez melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se, Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP (Celacc-ECA) e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV Globo Minas, O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes e Risadaria. Ganhou os prêmios Nelson Rodrigues, Inspiração do Amanhã e Referência Nacional pela Ancec. Como dramaturgo, é autor da peça Entrevista com Phedra.

Sobre a coluna

Miguel Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e sociedade, com informações e entrevistas exclusivas, além de reflexões sobre o mundo da Cultura e do Entretenimento.

Blog do Arcanjo