Topo
Miguel Arcanjo

Miguel Arcanjo

Categorias

Histórico

Saiba quem venceu o 27º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

Miguel Arcanjo Prado

21/11/2019 11h19

Cena do longa vencedor do Coelho de Ouro no 27º Festival Mix Brasil, Indianara, filme que conta a história da ativista transexual Indianara Siqueira, uma das idealizadoras da Casa Nem, abrigo para pessoas LGBTIs em situação de vulnerabilidade no Rio – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Persistir. Este foi o tema da 27ª edição do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, principal evento cinematográfico brasileiro focado no cinema com temática da diversidade. A palavra dialoga com outra fartamente usada nestes tempos de censura, perseguição e cortes de verbas para o setor cultural: resistir. Pois a persistência se uniu à resistência como ato de coragem artística durante todo o evento sob comando de André Fischer e Josi Geller, que chegou ao fim nesta quarta (20), no Centro Cultural São Paulo, em noite de premiação marcada por politizados em nome da liberdade de expressão, contra a censura e pela representatividade de todos os corpos nas artes e na sociedade. O Blog do Miguel Arcanjo mostra a seguir quem foram os premiados — este colunista integrou o júri do Prêmio Canal Brasil de Curtas, entregue ao filme pernambucano "Swinguerra".

A diva Divina Valéria, completamente desconstruída em cena de Marie, que lhe rendeu Menção Honrosa – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Premiados no Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade 2019

COELHOS DE OURO

Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil

• Melhor Curta-Metragem Brasileiro: BONDE, de Asaph Luccas
• Melhor Longa-Metragem Brasileiro: INDIANARA, de Aude Chevalier-Beaumel, Marcelo Barbosa

INCENTIVO: O longa e o curta premiados com o Coelho de Ouro também receberão os prêmios DOTCINE, CTAV e MISTIKA de incentivo à realização de seus novos projetos audiovisuais através da parceria do Festival Mix Brasil com apoiadores da área cinematográfica.

COELHOS DE PRATA

Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil para Curtas-metragens

• Melhor Direção: Loli Menezes, por SELMA DEPOIS DA CHUVA
• Melhor Roteiro: Camila Gaglianone, Cris Lyra, Ananda Maranhão, Elis Menezes, Lana Lopes, Raíssa Lopes e Yakini Kalid, por QUEBRAMAR
• Melhor Interpretação: Wallie Ruy, por MARIE
• Menção Honrosa: Divina Valéria, de MARIE

Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil para Longas-metragens

• Melhor Direção: Bea Morbach, Débora Mcdowell e Renata Taylor, por TRANSAMAZONIA
• Melhor Roteiro: Gustavo Vinagre e Marcelo Diorio, por A ROSA AZUL DE NOVALIS
• Melhor Interpretação: Anne Celestino Motta, por ALICE JÚNIOR
• Menção Honrosa: ALICE JÚNIOR, de Gil Baroni

PRÊMIO DO PÚBLICO

• Melhor Curta-Metragem Nacional: PERIFERICU, de Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira
• Melhor Curta-Metragem Internacional: LES SAINTS DE KIKO, de Manuel Marmier (França)
• Melhor Longa-Metragem Nacional: ALICE JÚNIOR, de Gil Baroni
• Melhor Longa-Metragem Internacional: RETRATO DE UMA JOVEM EM CHAMAS, de Céline Sciamma (França)

PRÊMIOS ESPECIAIS

• Prêmio Ícone Mix: Marina Lima
• Prêmio Suzy Capó: o filme PERIFERICU, de Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira
• Prêmio Canal Brasil de Curtas: SWINGUERRA, de Barbara Wagner e Benjamin de Burca
• Prêmio SescTV: HOMENS INVISÍVEIS, de Luis Carlos de Alencar
• Prêmio Show do Gongo All Stars: A DRAG A GOZAR, de Kiko César
• Prêmio Ida Feldman: a Vinheta do 27º Festival Mix Brasil, criada pela agência VETOR ZERO
• Prêmio Big Mix Diversity: HUNI KUIN: YUBE BAITANA, de Bobware/Beya Xiña Bena (Brasil)
• Prêmio Mix Literário: NINGUÉM VAI LEMBRAR DE MIM, de Gabriela Soutello Menção Honrosa: Bruno Ribeiro, de GLITTER

Siga @miguel.arcanjo

Cena de Swinguerra, que levou o Prêmio Canal Brasil de Curtas no 27º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Festival Mix Brasil 🎬 (@festivalmixbrasil) em

Sobre o autor

Eleito três vezes um dos dez melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se, Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP (Celacc-ECA) e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV Globo Minas, O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes e Risadaria. Ganhou os prêmios Nelson Rodrigues, Inspiração do Amanhã e Referência Nacional pela Ancec. Como dramaturgo, é autor da peça Entrevista com Phedra.

Sobre a coluna

Miguel Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e sociedade, com informações e entrevistas exclusivas, além de reflexões sobre o mundo da Cultura e do Entretenimento.

Blog do Arcanjo