PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Atriz trans Márcia Dailyn faz história ao ser indicada a prêmio de teatro

Miguel Arcanjo Prado

21/12/2019 08h46

A atriz Márcia Dailyn na peça Entrevista com Phedra: primeira atriz trans travesti da história a ser indicada a um grande prêmio do teatro paulistano, ela concorre a Melhor Atriz no Prêmio Aplauso Brasil de Teatro por sua personagem Phedra D. Córdoba – Fotografia: Annelize Tozetto @annelizefotografia – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn acaba de fazer um feito inédito e histórico. Ela é a primeira atriz transexual travesti a ser indicada a um grande prêmio de teatro em São Paulo. Por sua interpretação arrebatadora da diva trans cubana Phedra D. Córdoba, na peça Entrevista com Phedra, ela foi indicada a Melhor Atriz de 2019 pelo Prêmio Aplauso Brasil, criado pelo crítico Michel Fernandes.

O trabalho de Márcia no espetáculo, no qual atuou ao lado de Raphael Garcia — que deu vida ao jornalista Miguel Arcanjo —, emocionou as pessoas que conheceram a diva cubana de perto. "Ela me colocou, em cena, diante da Phedra. Parabéns, Márcia", resume o diretor Robson Catalunha, que comandou ao lado de Juan Manuel Tellategui a peça escrita por Miguel Arcanjo Prado.

"Estou tremendo, não consegui ainda absorver tudo isso. O sonho da Phedra D. Córdoba era receber o Prêmio Aplauso Brasil, que ela adorava. Só de ser indicada, eu dedico a ela. Essa indicação é dela", declarou, muito emocionada, Márcia Dailyn.

"Ela que sonhava com tudo isso e hoje podemos realizar o sonho dela. Fiz com tudo meu amor e dedicação Ela um dia me pediu que o nome dela não fosse esquecido. E Phedra D. Córdoba jamais será esquecida. Essa indicação é a prova disso", disse Márcia.

Vote em Márcia Dailyn no Prêmio Aplauso Brasil

Como a icônica diva cubana Phedra D. Córdoba, Márcia Dailyn contracena com o ator Raphael Garcia, que interpretou o próprio autor da obra, na peça Entrevista com Phedra, de Miguel Arcanjo Prado – Foto: Edson Lopes Jr. – Coluna @miguel.arcanjo UOL

Entrevista com Phedra estreou em 8 de julho e ficou em cartaz três meses no Espaço dos Satyros Um, na praça Roosevelt, encerrando sua temporada no Theatro Municipal de São Paulo, com mais de 20 apresentações com ingressos esgotados em todas as sessões.

O espetáculo foi aplaudido por nomes como Ivam Cabral, Rodolfo García Vázquez, Aguinaldo Silva, Regina Volpato, Celso Zucatelli, Cléo De Páris, Maria Casadevall, Silvetty Montilla, Grace Gianoukas, Larissa Luz, Sidney Santiago e outras tantas personalidades das artes.

Márcia Dailyn posa com a equipe da peça Entrevista com Phedra: Juan Manuel Tellategui (diretor), Raphael Garcia (ator), Miguel Arcanjo Prado (autor), Robson Catalunha (diretor) – Foto: Bruno Poletti @brunopoletti – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn, que já foi pioneira ao ser a primeira bailarina trans do Theatro Municipal de São Paulo, é mais uma atriz trans que consegue romper a barreira do preconceito na classe artística. Isso acontece em meio a um movimento social e cultural que busca legitimação e e representatividade trans para profissionais trans no meio artístico, ainda repleto de preconceito.

Feito histórico: Márcia Dailyn é primeira atriz trans a ser indicada a Melhor Atriz no Prêmio Aplauso Brasil por Entrevista com Phedra – Foto: Edson Lopes Jr. @edson_lopes_jr – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Neste ano, além de atuar em Entrevista com Phedra, ela ainda esteve no Festival de Teatro de Curitiba com a Cia. de Teatro Os Satyros, da qual faz parte e é Diva da Praça Roosevelt, com a peça Mississipi. Em São Paulo, a obra foi apresentada no Teatro Anchieta do Sesc Consolação e no Theatro Municipal de São Paulo, dois palcos tradicionais da cidade.

No fim deste ano, Márcia voltou já consagrada ao Municipal para participar como convidada especial do diretor artístico do Municipal, Hugo Possolo, do grande espetáculo "São Paulo, Meu Amor – Noite de Gala do Circo", no qual interpretou a diva em duas sessões que lotaram o nobre espaço cultural.

Primeira atriz trans indicada a um prêmio teatral paulista, Márcia Dailyn já havia feito história ao ser a primeira bailarina trans do Theatro Municipal de São Paulo, onde foi a primeira aluna trans de sua renomada escola de dança e enfrentou de cabeça erguida todos os preconceitos – Foto: Bruno Poletti @brunopoletti – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Outras trans pioneiras em premiações artísticas

Em 2018, a atriz e cineasta Julia Katharine foi a primeira mulher trans a vencer um prêmio de cinema, sendo laureada na Mostra de Cinema de Tiradentes. No mesmo ano, a atriz trans chilena Daniela Vega foi a primeira mulher trans a apresentar o Oscar, que fez vencedor na categoria Melhor Filme Estrangeiro o filme que ela protagonizou, Uma Mulher Fantástica.

Nesta semana, no Domingão do Faustão, a Globo fez concorrer pela primeira vez pessoas trans em seu Troféu Melhores do Ano, Nany People e Glamour Garcia, sendo que esta última ganhou como Revelação.

Ainda nesta semana, em São Paulo, o Prêmio Arcanjo de Cultura premiou em uma festa repleta de diversidade e representatividade no Theatro Municipal de São Paulo, três mulheres transexuais: Linn da Quebrada, em Cinema, e Nany People e Glamour Garcia, em Streaming e TV, sendo que as atrizes trans Márcia Dailyn e Ingrid Soares ainda estiveram no palco entregando os troféus.

Antigas premiações teatrais em São Paulo, o Prêmio APCA e o Prêmio Shell nunca premiaram atores transexuais.

Vote em Márcia Dailyn no Prêmio Aplauso Brasil de Teatro

Veja, a seguir, mais imagens de Márcia Dailyn em Entrevista com Phedra:

Márcia Dailyn como Phedra D. Córdoba na peça Entrevista com Phedra no Eté – Festival Corpo do Theatro Municipal de São Paulo – Fotografia: Annelize Tozetto @annelizefotografia – Blog do @miguel.arcanjo UOL

A atriz Márcia Dailyn, primeira bailarina trans do Theatro Municipal, posa no camarim do Espaço dos Satyros Um ao viver Phedra D. Córdoba na peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado – Foto: Bruno Poletti – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn e Raphael Garcia em retrato de Bob Sousa – Foto: Bob Sousa – @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn na peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado, sob direção de Robson Catalunha e Juan Manuel Tellategui – Foto: Annelize Tozetto – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn como Felipe D. Córdoba, antes da transição para Phedra D. Córdoba, na peça Entrevista com Phedra – Fotografia: Annelize Tozetto – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn dança na já lendária cena das castanholas na peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado, sob direção de Robson Catalunha e Juan Manuel Tellategui – Foto: Annelize Tozetto – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn é a diva cubana Phedra D. Córdoba na peça Entrevista Com Phedra – Fotografia: Annelize Tozetto – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn canta Quizás na peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado sob direção de Robson Catalunha e Juan Manuel Tellategui – Foto: Bob Sousa – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Os atores Márcia Dailyn e Raphael Garcia na peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado sob direção de Robson Catalunha e Juan Manuel Tellategui – Foto: Bob Sousa – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Márcia Dailyn e Raphael Garcia agradecem os aplausos para Entrevista com Phedra – Foto: Annelize Tozetto – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Cena da peça "Entrevista com Phedra", de Miguel Arcanjo Prado sob direção de Robson Catalunha e Juan Manuel Tellategui: os atores Márcia Dailyn e Raphael Garcia observam o retrato de Phedra D. Córdoba feito por Bob Sousa – Foto: Bob Sousa – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Siga @marciadailyn

Siga @miguel.arcanjo

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Marcia Dailyn (@marciadailyn) em

Sobre o autor

Eleito três vezes um dos dez melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se, Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP (Celacc-ECA) e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV Globo Minas, O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes e Risadaria. Ganhou os prêmios Nelson Rodrigues, Inspiração do Amanhã e Referência Nacional pela Ancec. Como dramaturgo, é autor da peça Entrevista com Phedra.

Sobre a coluna

Miguel Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e sociedade, com informações e entrevistas exclusivas, além de reflexões sobre o mundo da Cultura e do Entretenimento.

Blog do Arcanjo